Voltar ao site

Ivan Moraes 50.100 pratrás e prafrentemente!

Por Ivan Moraes, vereador do Recife e candidato à reeleição

· Cartas à Queridagem

Recife, plena campanha eleitoral, 2020

Salve, Queridagem!

Eu sou Ivan Moraes, um sujeito comum. Pai, comunicador, militante social há nem-sei-mais-quanto-tempo. Uma pessoa cheia de sonhos e ideias na cabeça. Que acredita que nós temos plenas condições de resolver nossos problemas aqui na Terra.

Ah, e como eu sempre digo quando subo nos ônibus da cidade para prestar contas do mandato, desde janeiro de 2017 eu sou seu empregado como vereador do Recife. Em 2016, me filiei ao PSOL e participei de minha primeira campanha eleitoral.

A vitória me colocou na Câmara Municipal do Recife, trouxe alegria e um monte de desafios. A ideia era (e continua sendo) transformar a política, começando por construir um mandato colaborativo, horizontal, representativo, transparente. Um mandato em que as pessoas que defendem os direitos humanos sintam-se acolhidas e respeitadas. Passados quase quatro anos e com o primeiro mandato chegando ao fim, estou mais uma vez “botando a cara no santinho”.

Sou candidato à reeleição como vereador com o objetivo de renovar este mandato e continuar trabalhando pelo Recife, cobrando as políticas públicas que a gente precisa, fiscalizando o orçamento público, propondo e votando leis importantes para a nossa cidade. Durante todo esse período, estive (como estou) na oposição à gestão de Geraldo Júlio, denunciando prioridades equivocadas, sugerindo alternativas para a gestão, alinhado com dezenas de coletivos, organizações e movimentos que estão no dia-a-dia lutando por direitos em vários territórios da cidade.

Apesar de ser a “minoria da minoria” na Câmara, tenho – junto com a minha indiscoisável equipe, conseguido vitórias importantes para a nossa cidade.

Na Boa Vista, a gente deu as mãos ao Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Comércio Informal (Sintraci) para dizer que #CabeCamelônaConde. A ação garantiu o direito ao trabalho de 100 pessoas em quiosques que foram idealizados por quem vende seus produtos numa das avenidas mais importantes da nossa cidade.

Lado a lado com o Movimento do Povo de Rua e suas organizações de apoio atuamos e conquistamos os restaurantes populares e os abrigos noturnos, para atender quem está em situação de rua no Centro. Com as associações que lutam pelo direito de pessoas que precisam de medicamentos à base da cannabis (Cannape e Amme), fomentamos a criação do Ambulatório Canábico do Serviço Integrado de Saúde (SIS). Com vários grupos ligados à cultura, pressionamos a Prefeitura a finalizar a reforma do Teatro do Parque.

Ao lado do Fórum Pernambucano de Comunicação, conseguimos dar transparência aos gastos do município com publicidade.

Em tempos de Covid-19, intensificamos nossa fiscalização às políticas e ao orçamento através de notas técnicas. Com requerimentos e muita pressão temos cobrado da prefeitura, muitas vezes com sucesso, a melhoria de serviços públicos por toda a cidade. No campo legislativo, nosso mandato se consolidou como uma “porta aberta” na Câmara para protocolar e aprovar iniciativas que nascem na sociedade civil.

Assim, conseguimos aprovar a lei que obriga shopping centers da cidade a terem fraldários acessíveis para homens e mulheres. Nosso projeto que obrigaria bares e restaurantes a fornecer água potável para sua clientela foi até aprovado na Câmara, mas a Prefeitura vetou, assim como também vetou o projeto que obrigaria autoescolas na cidade a contratarem intérpretes de libras. Também criamos o Dia Municipal do Teatro, o Dia Municipal da Comunicação Popular, o Dia Municipal contra o Encarceramento da Juventude Negra, a Semana Municipal de Vivência e Prática Afro-Indígenas. Enquanto eu escrevo esta carta, estamos na pressão para aprovar a lei que proíbe a dupla função para motoristas e cobradores/as nos ônibus que circulam no Recife. Nem sempre nossa cobrança é vitoriosa. Mas nem por isso a gente deixa de ir à luta.

De mãos dadas com as pessoas mais afetadas, continuamos “no pé” da Prefeitura para que conclua intervenções importantes para a cidade. Obras que haviam sido planejadas, algumas iniciadas, mas que atrasaram muito ou foram até interrompidas – seja por inoperância do poder público, seja por falta de seriedade das empresas que as executam.

Cito os exemplos da revitalização do Canal Guarulhos, em Jardim São Paulo; do habitacional Encanta Moça, no Pina; da obra do PAC II em Beberibe; do habitacional de Caranguejo Tabaiares; da Beira-Rio das Graças, que faz parte do Parque Capibaribe e que já teve as obras iniciadas e interrompidas duas vezes nesses quatro anos.

Também continuo cobrando mais acessibilidade nas políticas; mais recursos para a comunicação pública, popular e comunitária; mais atenção às estratégias de prevenção à violência; atenção básica na saúde para a cidade toda e vagas em creches para todo mundo que precisa; maior atenção à mobilidade com prioridade para rotas cicláveis e transporte público coletivo; mais carinho e atenção aos nossos mercados públicos, feiras livres e espaços agroecológicos; descentralização e democratização das políticas públicas para a cultura, entre outras tantas coisas que a gente precisa pra viver numa cidade mais arretada. Como mandato educativo, a gente investe muito tempo e trabalho em material informativo sobre a função do poder legislativo, redução de danos, direitos das pessoas LGBTQI+, saúde de mulheres lésbicas e bissexuais, segurança cidadã, racismo, orçamento público e outros temas relevantes para a garantia dos direitos de todas as pessoas. Assim eu vim aqui hoje, na tua casa, através desta singela cartinha, pedir teu voto.

É, eu sei que você provavelmente não tá muito contente com a forma com que a política vem sendo conduzida na nossa cidade e no nosso país. Andando pela cidade como eu ando, percebo que este sentimento é real por parte de muita gente. Eu também acho que as coisas deveriam ser diferentes. Que o dinheiro público merece mais respeito.

Que as pessoas precisam estar no centro das decisões que são tomadas pelo poder público. Que honestidade e seriedade não deveriam ser diferenciais, mas qualidades obrigatórias pra todo mundo que se dispõe a ocupar um cargo eletivo. É por isso mesmo que eu acho que vale votar 50100 nessas eleições. Referendar um mandato que vem fazendo a diferença é um gesto político potente para mudar a correlação de forças na Câmara do Recife.

Eu escolhi continuar acreditando na transformação da sociedade através da organização das pessoas e, nesta perspectiva, as eleições continuam sendo um momento importante. Uma oportunidade que a gente tem pra avaliar nossas/os gestores/as e representantes, podendo, através da participação nas campanhas e nas urnas, manter ou substituir as pessoas e grupos políticos que, por dentro do Estado, tomam decisões que afetam as vidas de todo mundo.

Um abraço carinhoso, ainda que à distância,

Ivan Moraes Vereador do Recife, candidato à reeleição.

Pêésse: se você curte nosso mandato e/ou gostou dessa carta, vamos espalhar ela por aí?

Outro pêésse: se, por qualquer motivo, você achar que não deve votar em mim, procura conhecer as demais candidaturas do PSOL (as que começam com 50).

A nossa chapa esse ano tá a coisa mais linda do mundo, com muita gente fantástica, cheia de vontade de mostrar serviço.

Ah, mais um pêésse: Para prefeita, vou votar em Marília Arraes (13).

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK

...